III ENCONTRO DE PESQUISADORES DO FREVO

APRESENTAÇÃO | PROGRAMAÇÃO | CRONOGRAMA | INSCRIÇÕES E NORMAS GERAIS | RODAS DE DIÁLOGOS | MINICURSO E OFICINAS | COMUNICAÇÕES SELECIONADAS | COMISSÃO ORGANIZADORA | CONTATOS | EDIÇÃO 2015 | EDIÇÃO 2014

 

3_encontro_-pesquisadores

APRESENTAÇÃO

As festas articulam diferentes sentimentos, significados, símbolos, agentes. De momentos mais intimistas à mobilização de grandes contingentes de públicos, o festejar agrega muitas pessoas, entre a sua produção e a sua fruição, em torno de diferentes motivações: comemorar, celebrar, lembrar, reunir – alguns dos motivos que ensejam a realização de festas. No caso do frevo, sua associação mais direta com o festejar se dá especialmente na sua apoteose: o carnaval. Contudo, até que se chegue a esta culminância, o frevo e outras manifestações culturais caracterizadas pela existência de um momento auge (como as celebrações juninas ou natalinas, por exemplo), passam por diferentes etapas de realização, que articulam distintas significações.

Pensando nos trânsitos de significados que ocorrem entre a idealização, o planejamento, os processos de construção e a realização de festejos, o III Encontro de Pesquisadores do Frevo propõe o tema “SENTIDOS DO FESTEJAR: O POPULAR ENTRE NEGOCIAÇÕES E  AGENCIAMENTOS”. O encontro abordará os diferentes papeis que agentes envolvidos no festejar  assumem, investigando as negociações subjacentes, sobretudo, entre o amadorismo e a  profissionalização, marcantes desde o advento da implementação e consolidação de políticas  culturais de estado e da entrada massiva de grandes capitais privados na cultura popular  brasileira.

Assim, na perspectiva de problematizarmos os sentidos advindos do festejar – quais sejam: assumir papeis, defender pontos de vista, elaborar-se como brincante, envolver-se, articular pessoas, acionar lugares, enfim, estabelecer modos de representação e provocar experiências – propomos a reflexão acerca das negociações e agenciamentos presentes desde o planejamento das festas à sua efetiva realização. Deste modo, debateremos os caminhos delineados entre as ações na rua e no palco, entre as atividades feitas de modo comunal e colaborativo e aquelas realizadas com a mediação de produtores culturais, nas quais vemos participação de diferentes agentes que, de diferentes modos, tem colaborado para a construção, a desconstrução e a reinvenção do festejar.

Em busca de problematizar estas relações que o Paço do Frevo provoca e convoca pesquisadores do frevo a participar deste III Encontro de Pesquisadores do Frevo. Por quais agenciamentos os brincantes passam na realização de suas ações? Quem são os atores que participam destas mobilizações? Que mudanças de sentido as festas passam entre as ações feitas na rua e aquelas feitas no palco? Quais as colaborações e os problemas na relação entre as políticas públicas e o festejar? Quais os desafios existentes na relação entre o capital privado e a promoção de festas públicas? Mais do que indicar respostas definitivas para estas e outras perguntas, o Paço do Frevo propõe no encontro a reflexão qualitativa sobre os sentidos do festejar.

As reflexões que buscamos ratificam a posição institucional do Paço do Frevo acerca, primeiramente, do sentido que atribuímos à palavra pesquisador. Temos trabalhado, há quase três anos, com uma concepção mais ampla de “pesquisador”, compreendendo-o, também, como o brincante que escava nas memórias de suas comunidades novas narrativas para compor seu espetáculo. Compreendemos “pesquisador”, ainda, como o passista que comparece em rodas de break e dali tira inspirações para novas modalidades corporais. Nessa ampla acepção de pesquisador também está presente, por exemplo, o músico que dialoga com jazz, o samba ou o choro. Entendemos “pesquisador”, portanto, não apenas como o acadêmico, mas também, como aquele que procura outros referenciais para suas práticas, utilizando-se de métodos elaborados continuamente, em função de seu objeto de pesquisa.

Nesta ampla perspectiva de pesquisador e compreendendo a importância de que a este escavador de significados e reflexões seja dado espaço para troca, convivência e inspiração, o Paço do Frevo, irá promover entre os dias 22 a 26 de novembro de 2016 o III Encontro de Pesquisadores do Frevo.

Mantendo os princípios norteadores dos Encontros de Pesquisadores do Frevo anteriormente realizados pelo Paço do Frevo, em 2014 e 2015, neste ano de 2016 o evento deverá reunir pesquisadores das mais diversas áreas para construir diálogos sobre o frevo e os bens culturais, a partir de múltiplas perspectivas, seja a partir das vivências e saberes tradicionais acumulados ao longo das trajetórias de vida das pessoas diretamente envolvidas com o seu universo ou seja por meio de um viés acadêmico – com base na história, sociologia, antropologia, artes cênicas, música ou áreas afins.

Fundamentado nas questões propostas acima, o “III Encontro de Pesquisadores do Frevo – Sentidos do Festejar: o popular entre negociações e agenciamentos”, parte de uma perspectiva predominantemente dialógica e polifônica, contribuindo para um alargamento da compreensão do universo do frevo e os demais bens culturais. Assim, com uma programação que contempla palestras, oficinas, debates, apresentações culturais e visita de campo, o III Encontro de Pesquisadores do Frevo se consolida como espaço para discussões e proposições em torno do frevo e da cultura popular. Desta maneira, manteremos o espaço permanente para reflexões contemporâneas em torno do frevo e da cultura popular, demarcando, também, a necessidade de colocar em contato a academia e os produtores/fazedores de cultura – todos, portanto, agentes do campo cultural e pesquisadores em seu sentido lato. Fica, portanto, o convite para a ampla participação da sociedade em nossas ações, como pode ser visto em nossa programação.